Dicas pra melhorar ainda mais a sua gramática na redação do Enem 2021

Oi, Saltitante! 🚀 

Preparado (a) pra mais dicas de gramática que vão fazer você arrasar ainda mais em sua redação do Enem 2021?  

É ÓBVIO que sim!!! Fonte: Tenor

Nós sabemos que a língua portuguesa é cheia de regrinhas e de norminhas, o que pode dar um nó na cabeça de vários alunos! Por isso, pode confiar que iremos te deixar superconfiante na hora de escrever a sua redação do Enem!  

Cola com a gente que é sucesso! Fonte: Tenor

Mas, antes de resolver algumas de suas dúvidas sobre gramática, que tal conferir o nosso outro post, no qual fornecemos outras dicas relacionadas à língua portuguesa que também deixam os alunos de cabelo em pé?  

Você também fica assim quando tem dúvidas de gramática? Fonte: GIPHY

Sem mais delongas, vamos lá! 

Sábias palavras, Lizzo! Fonte: GIPHY

Quando usar “VIR” e “VIER”? 

Quase todo o mundo comete esse errinho de português. Mas que tal nunca cometê-lo novamente com a nossa ajuda? 😉 

Imagina a situação: se alguém te pergunta “você viu os meus óculos?”, você responde “não, mas se eu ver, eu te falo” ou “não, mas se eu vir, eu te falo”?  

Se você normalmente responde a primeira opção, temos uma má notícia! Ela é beeem errada! 

Sua vida inteira foi uma mentira? Possivelmente! Fonte: GIPHY

Isso porque o futuro do subjuntivo do verbo “VER” é “VIR”. 

Então, temos como exemplo: Se eu perder o meu gato, você vai me avisar quando você VIR ele? 

Não fuja, gatinho! Fonte: Pinterest

Mas e se o verbo for “VIR”? Aí, Saltitante, o futuro é “VIER”.  

Olha o exemplo: Quando você VIER me visitar, eu quero te apresentar meus gatos”.   

Sempre cumprimente os bichinhos! Fonte: Gfycat

Ei, psiu! Que tal conferir também as nossas técnicas pra você escrever melhor a sua redação do Enem 2021? Garantimos que elas vão te ajudar bastante! 😉  

Quando usar “ONDE” e “AONDE”?  

Outra dúvida que abala muitos estudantes! Esses advérbios, muito danados, fazem muitas pessoas cometerem erros na hora de escreverem seus textos! 

Saiba como usá-los corretamente: 

A palavra “AONDE” tem a ver com movimento, enquanto “ONDE” é relacionada às coisas paradas.  

“Então, não ajudou muito”, você diz. 

Que tipo de bruxaria é essa?! Fonte: GIPHY

Calma lá, nós temos mais um macete precioso: 

Que tal você substituir o “A” de “AONDE” por “PARA”, ficando “PARA ONDE”? Assim, se fizer sentido, você usa esse advérbio! 

Veja o exemplo: AONDE você for, eu vou! (você também pode dizer “PARA ONDE você for, eu vou”). 

Aff, adoramos essa amizade! Fonte: Tenor

Agora, com o advérbio “ONDE”, isso não rola! 

Olha só: A casa ONDE moro fica ali na esquina (você não pode dizer “a casa PARA ONDE moro fica na esquina, né?). 

Uma dica: ela não é feita de doces! Fonte: Pinterest

Outro exemplo: A gaveta ONDE guardo chocolates é imensa! (você não pode dizer “a gaveta PARA ONDE guardo chocolates é imensa!”). 

Vai um chocolatinho aí? Fonte: Tenor

Quando usar “SEÇÃO” ou “SESSÃO”?  

O quanto você gosta da seção ou sessão de Salte em 1 minuto no canal do O Salto no YouTube? Muuuuuito, né? 🧡 

Mas, vem cá, qual é a opção certa?! 

Essa é difícil, hein?! Fonte: Gfycat

Nesse caso, é SESSÃO. Isso porque, sempre quando você estiver falando de tempo, a única opção é usar a palavra “SESSÃO”. Tipo uma SESSÃO de cinema, uma SESSÃO de terapia… 

Olha o exemplo: O Sr. Incrível marcou uma SESSÃO com a Edna Moda (ou seja, ele marcou com HORÁRIO com ela). 

Quem aí aceita umas dicas de moda da Edna?! 🙋🙋‍♂️ Fonte: GIPHY

Já a palavra “SEÇÃO” refere-se a repartições, departamentos, divisões, partes de coisas 

Por exemplo: O Super-Homem trabalha em uma SEÇÃO do jornal Planeta Diário. 

Vamos combinar, é o MELHOR disfarce de todos. Fonte: GIPHY

Outro exemplo: A SEÇÃO de doces é a parte do supermercado que Du, Dudu e Edu mais gostam.  

Como não amar doces, né?! Fonte: Tenor

Se a “SEÇÃO” de doces fosse “SESSÃO”, ela teria tempo pra começar e terminar, o que não é o caso, né? É só você pensar no segundo que começa e no segundo que termina certas coisas (pegou a referência? São dois “S”!!!) 

Bate aqui se você entendeu a referência! 👋 Fonte: Tenor

Já pensou em usar games em sua redação do Enem 2021? Então não deixe de ler o nosso post sobre o assunto! 😉 

Como a regência do verbo “IMPLICAR” funciona?  

Muita gente acaba confundindo essa regência e nada melhor que a gente ajudar você a entender como ela funciona! 

O verbo “IMPLICAR” no sentido de aporrinhar, encher a paciência, é TRANSITIVO INDIRETO. 

Olha só o exemplo: O Quico IMPLICA com o Chaves. 

Sim, Quico, todo mundo sabe que você AMA encher o saco do Chaves! Fonte: Pinterest

Já o verbo “IMPLICAR”, no sentido de consequência, de acarretar, de originar, é TRANSITIVO DIRETO. 

Veja: A greve dos caminhoneiros IMPLICA falta de combustível (ressuscitamos esse exemplo! 😂). Observe que não usamos “EM” após “IMPLICA”, já que coisas implicam coisas, e não em coisas.  

Gostou das nossas dicas de gramática? A sua redação do Enem 2021 vai ficar ainda mais SENSACIONAL com elas! 😉 

Aproveite também pra conferir o nosso e-book gratuito “Salte em 1 minuto”, que vai te ensinar dicas bem rápidas da língua portuguesa pra você ARRASAR na sua prova!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter