Tag Archive REDAÇÃO

BUSCA DE DESAPARECIDOS NA REDAÇÃO DO ENEM

O Salto one comments

BUSCA DE DESAPARECIDOS NA REDAÇÃO DO ENEM

Muito tem se especulado sobre o tema da redação do ENEM 2019 e, a grande aposta da vez é a “Busca de Desaparecidos”.  Apesar disso, a gente aqui do Salto, particularmente, não gosta de apostar em nenhum tema, especificamente. Afinal, o importante é estar preparado pra falar sobre qualquer assunto. No entanto, muita gente nos pediu mais repertórios sobre esse assunto. Então, resolvemos dar aquela mãozinha.

Vamos começar por mais um episódio de temas do Salto em que, certamente, falamos sobre o recorte do desaparecimento de crianças e adolescentes:

Por que a busca por desaparecidos é uma grande aposta de tema para o ENEM 2019

Em março de 2019, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto de lei da Câmara dos Deputados que cria a Política Nacional de Busca de Pessoas Desaparecidas. Antes disso, o Brasil já tinha um cadastro de pessoas desaparecidas, inicialmente destinado a crianças e adolescentes.

Até então, Brasil já dispunha de um cadastro de pessoas desaparecidas, inicialmente destinado a crianças e adolescentes (Lei 12.127/09), mas a nova Lei 13.812/19, é mais ampla. Ademais, ela abrange o desaparecimento de adultos e torna prioridade a busca e a localização de pessoas, que deverão ser realizadas, preferencialmente, por órgãos investigativos especializados.

Segundo dados do site da Câmara dos Deputados, o atual Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas será reformulado. Desse modo, ele deverá ter dados públicos de livre acesso e outros restritos a órgãos de segurança – como material genético, por exemplo. Além disso, as informações deverão ser padronizadas e alimentadas pelas autoridades de segurança pública relacionadas à investigação e, ao ser informada de desaparecimento, a autoridade incluirá os dados no cadastro nacional.

Repertórios relacionados com a busca de desaparecidos

Se você leu nosso e-book de 14 temas, já sabe que usar repertório pop na redação está mais do que autorizado. Por isso, separamos aqui alguma lista relacionada com o desaparecimento de pessoas:

“Arkangel”: “Arkangel” é o segundo episódio da quarta temporada da série Black Mirror e dá nome a uma tecnologia de implante que permite que os pais acompanharem e monitorarem seus filhos. Após crises de consciência, a personagem Marie, mãe de Sara, permite que a filha cresça sem o uso do Arkangel. Enquanto Sara amadurece, tornando-se uma adolescente rebelde, Marie fica tentada a usar a tecnologia novamente.

“O quarto de Jack”: Joy e seu filho Jack vivem isolados em um quarto. Assim, o único contato que ambos têm com o mundo exterior é a visita periódica do Velho Nick, o homem que os mantém em cativeiro. Nesse cenário, Joy faz o possível para tornar suportável a vida no local, mas quando seu filho completa cinco anos, ela decide elaborar um plano para fugir. Finalmente, Com a ajuda de Jack, ela tenta enganar Nick para retornar à realidade e apresentar um novo mundo a seu filho.

repertório sobre a busca de desaparecidos

“A troca”: Christine Collins, mãe solteira, se despede de Walter, seu filho de 9 anos e parte rumo ao trabalho. Logo, ao retornar, ela descobre que Walter desapareceu. Assim, ela inicia uma busca exaustiva para encontrá-lo. Cinco meses depois, a polícia traz uma criança, dizendo ser Walter. Nesse contexto, atordoada pela emoção da situação, além da presença de policiais e jornalistas que desejam tirar proveito da repercussão do caso, Christine aceita a criança. Porém, no íntimo, ela sabe que ele não é Walter. A partir daí, ela pressiona as autoridades para que continuem as buscas pelo seu filho.

Hipóteses para uma argumentação pautada na busca de crianças e adolescentes desaparecidos

Se a busca de desaparecidos for o tema da redação do ENEM 2019 (outras possibilidades aqui), você pode construir sua argumentação utilizando uma estrutura de causa e consequência. Nessa hipótese, você poderia citar como causa os problemas familiares ou a ineficácia do estado em proteger os menores. E, como consequência, a vulnerabilidade das crianças em situação de risco.

Soluções para o problema do desaparecimento de menores

Na conclusão da sua redação, você vai precisar apresentar uma proposta de intervenção para o problema. Aqui, estão algumas sugestões do “Livro do Repertórios: 50 temas inéditos analisados para o ENEM e Vestibulares”, da autoria do Manoel Neves e do Marcelo Batista.

  • Emissão de registro de identidade alfanumérico para todo recém-nascido, a fim de evitar que os raptores consigam tirar um novo registro da criança em outro estado;
  • Programas que permitam fortalecer o espaço social familiar, por intermédio de reflexões, de diálogos e de trocas de experiências;
  • Políticas públicas de assistência a famílias em situação de vulnerabilidade social;
  • Criação de programa de apoio psicossocial voltado para famílias de crianças e de adolescentes desaparecidos;
  • Criação de ONGs cuja atenção esteja voltada para resolução dos problemas vivenciados por crianças.

Sua vez de falar sobre a busca de desaparecidos na redação do ENEM

São muitas as alternativas para minimizar o número de casos de desaparecimento no Brasil. Qual outra saída você gostaria de propor? Comente aí embaixo!

Erros de português mais comuns entre os brasileiros – TOP 10

O Salto No Comments

Sempre tem aquela regrinha que a gente não entende direito e, toda vez que precisa usar, bate a dúvida. Pra você não se sentir sozinho, vasculhamos um montão de conteúdos na internet e elegemos os 10 erros de português mais comuns entre os brasileiros. Então, dê uma olhada e aproveite pra tirar as suas dúvidas!

Conheça os 10 erros de português mais comuns entre os brasileiros.

1. Dar x dá

Esse é um dos erros gramaticais que as pessoas mais perguntam no Instagram de O Salto, junto com as irmãzinhas “ver” ou “vê”, “ler” ou “lê”. Então, atenção: verbo com “r” no final é infinitivo. Por outro lado, essas terminações acentuadas indicam que o verbo está no presente do indicativo.

Você também passa por esse perrengue? Então, assista ao vídeo da Aline explicando esse assunto em 1 minuto!

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

O verbo no infinitivo é carente. Ou seja, ver, dar, ler, ou qualquer outro infinitivo sempre vem acompanhado de outro verbo. Por exemplo:

  • Tem cenas de filmes de terror que eu prefiro não ver.
  • Se a gente brigar, você vai ver comigo.

Por outro lado, quando estamos falando do presente, o verbo vem sozinho. Por exemplo:

  • Aline não filmes de terror.
  • Ela também muito.
  • Ela também tem um canal no Youtube que um show!

2. Mal x mau

Na hora de falar, é igualzinho. Mas, na hora de escrever, tem momento certo pra usar cada elemento dessa duplinha. “Mal” é advérbio, e indica o modo que algo está acontecendo. Além disso, pode ser substantivo ou conjunção. Em contrapartida, mau” é adjetivo, e dá uma qualidade para o substantivo.

Então, você me pergunta: como eu faço para saber? É simples!

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

Pra não ser mais um na lista dos que cometem os erros de português mais comuns, basta substituir. Caso a palavra em questão seja o oposto de bem, use mal com “l”. Caso seja oposto de bom, use mau com “u”. Assim:

  • Ele acordou de mau humor (ele acordou de bom humor)
  • Ele foi mal na prova (ele foi bem na prova)

3. Maqueia x maquia

De truques de maquiagem super sofisticados o Youtube está cheio. Mas quando o assunto é a conjugação do verbo maquiar, não precisa de muito segredo. Quer aprender de uma vez por todas? Então, assista ao vídeo da Aline ou, se preferir, continue a leitura!

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

Gente, essa é simples de verdade: maqueia não existe. Mas, se bater a dúvida, lembre-se que a conjugação é igualzinha à do verbo copiar: eu copio, tu copias, ele copia. Portanto, eu maquio, tu maquias, ele maquia.

4. Vir x vier

Esse aqui talvez seja o erro mais democrático: gente de todo tipo comete, dos mais cabeçudos aos mais desatentos. A confusão é nas conjugações dos verbos “ver” e “vir”, no futuro do subjuntivo. Quer entender? Então, dê o play no vídeo ou siga lendo até o fim do artigo.

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

Quando o verbo for “ver”, a conjugação é “vir”. Em contrapartida, quando o verbo for “vir”, a conjugação é “vier”. Por exemplo:

  • Se eu perder meu gato, você vai me avisar quando vir ele?
  • Quando você vier me visitar, quero te apresentar meus gatos.

5. Há x A

“Há” é conjugação do verbo haver e indica passado. Por outro lado, “A” é preposição e indica distância ou faz referência a um momento futuro. Confundir os dois é um dos erros de português que os brasileiros mais cometem. Mas, felizmente, existe um macete pra não errar!

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

Pra não morrer de dúvida na hora de escrever, substitua mentalmente a palavra por “faz”. Se der fizer sentido, use há. Mas se soar errado, use “a”. Assim:

  • três anos estou estudando para o ENEM (faz três anos que estou estudando para o ENEM. Rolou, né?)
  • Me formo na faculdade daqui a três anos (Me formo na faculdade daqui faz três anos? Viu, não rola!)

6. Conjugações dos verbos MARIO.

Mário? Que Mário? A sigla “MARIO” (ou mnemônica, pra enriquecer o vocabulário) serve pra ajudar a decorar um grupinho de cinco verbos com conjugação irregular muito parecida. E, olha, essa turma rende muitos erros de português. A saber:

M – Mediar
A – Ansiar
R – Remediar
I – Incendiar/Intermediar
O – Odiar

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

Todo verbo terminado em –iar se conjuga igualzinho. Por exemplo:

  • Adiar (eu adio);
  • Denunciar (eu denuncio);
  • Renunciar (eu renuncio)…

Ma,s quando estamos falando dos verbos do MARIO, a coisa muda de figura. Neste caso, a terminação da primeira pessoa do presente termina em –eio. Assim:

  • Mediar (eu medeio);
  • Ansiar (eu anseio);
  • Remediar (eu remedeio);
  • Incendiar/Intermediar (eu incendeio/eu intermedeio);
  • Odiar (eu odeio).

7. Tem x Têm

E esse circunflexo aí? Caiu com a reforma ortográfica? O certo é usar sempre? Ou só em alguns casos? Por causa desse tipo de dúvida, muita gente comete equívocos na hora de escrever. Mas é muita gente mesmo! Afinal, este é um dos erros de português que os brasileiros mais cometem. Mas, vamos com calma, porque é simples!

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

A regra do “têm” é uma das mais fáceis. Nesses casos, acentuamos no plural e não acentuamos no singular. Por exemplo:

  • Ela tem medo de cometer erro bobo na redação do ENEM
  • Elas têm medo de cometer erro bobo na redação do ENEM

8. Trás x Traz

“Trás”, com “s” no final e acento agudo no a, indica lugar. Entretanto o “traz”, sem acento e com “z” no final, é conjugação do verbo trazer. Quer acertar sempre na grafia quando usar essas palavrinhas? Então, são duas opções. Ou você pode ver o vídeo com a Aline, ou ir de dica escrita logo abaixo!

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

“Trás” tem a ver com “atrás”, “detrás”, na parte “traseira”. Por isso, sempre “s”. Em contrapartida, “traz” é conjugação do verbo “trazer”. Portanto, vai com “z” no final. Por exemplo:

  • A cartomante diz que traz o seu amado em sete dias.
  • Quem supera o passado nunca olha para trás.

9. Onde x Aonde

Já lemos em alguns lugares que “aonde” tem a ver com movimento e “onde” se relaciona a coisas estáticas. Mas, sinceramente? Não achamos que essa dica ajuda muito a parar de confundir esses dois advérbios. Desse modo, veja a dica no “Salte em 1 minuto” no vídeo ou continue lendo pra conhecer outro macete.

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

“Aonde” sempre pode ser substituído por “para onde”. Por outro lado, com “onde” não funciona. Então, experimente trocar. Se funcionar, coloque o “a”, se não, deixe só o “onde”. Por exemplo:

  • Aonde você for, eu vou (Para onde você for, eu vou. Assim, rola!)
  • Qual será a gaveta onde eu deixei meu chocolate? (Qual será a gaveta para onde eu deixei meu chocolate? Não deu certo, não é?).

10. Impresso x Imprimido

Tudo bem, nós sabemos que impressora pessoal já virou item de museu. Mas não podemos negar que a dúvida persiste.  Imprimido ou impresso, qual está certo? Há espaço na gramática pra usar as duas versões? Provavelmente, você também tem essa dúvida! Portanto, confira a dica.

Para driblar um dos erros de português mais comuns, superdica!

Pra não errar mais: quando os verbos forem “ser” e “estar”, use impresso. Por outro lado, com “ter” e “haver”, vale usar imprimido. Por exemplo:

  • Meu nome foi impresso errado no cartaz!
  • Eu tinha imprimido a versão certa ontem, onde é que foi parar?

Ei, vestibulando! Fuja dos erros de português mais comuns entre os brasileiros!

Quando dá para contar com o corretor automático, maravilha! Afinal, a cada dia que passa esses robôs estão cada vez mais espertos em identificar nossos deslizes gramaticais. Mas, quando a escrita é mais, digamos, analógica (alô, redação do ENEM!), o bicho pega de verdade.

Esses erros de português que a listamos são muito comuns, não há dúvidas. Mas, isso não significa os corretores do ENEM vão perdoar! Isso porque, pra pontuar alto, não basta saber falar sobre o tema proposto, você precisa escrever bem e dominar a norma culta da língua. Só para você ter uma ideia, quem não comete nenhum erro de português já garante 200 pontos na competência 1.

Isso equivale a 20% dos pontos da sua redação no ENEM. Portanto, ficar atento à grafia é absolutamente indispensável pra quem sonha com o 1.000. Por isso, procure ampliar o seu conhecimento! Pra chegar afiado no dia da prova, não deixe de conferir também nosso texto sobre temas mais prováveis.

Quer aprender a evitar mais alguns dos erros de português mais comuns entre os brasileiros?

erros de português que os brasileiros mais cometem

Baixe esse e-book gratuito!

Você curtiu os vídeos do “Salte em 1 minuto”? Então, vai gostar dessa notícia. Reunimos aqui todas as dicas da série em um material gratuito, objetivo, bonito, divertido e muito útil pra essa reta final do ENEM. Clique pra baixar!

 

Temas de redação no ENEM 2019. 4 apostas quentes

O Salto 3 comments

4 apostas de temas de redação no ENEM 2019

Mudanças no INEP, general no cargo de “diretor” do ENEM e Bolsonaro explicitando o desejo de ler a prova antes da aplicação. Já sabemos que a prova do ENEM 2019 não vai ser como antes (leia mais aqui). Por isso, nossa equipe levantou quatro apostas de temas de redação no ENEM 2019. Vamos ver quais são eles?

1. Desaparecimento de crianças

O tema inclui o rapto de menores, que pode ser motivado pelo tráfico de pessoas. Também entram nesse montante as crianças e adolescentes que fogem de casa por outros motivos. São exemplos: envolvimento com drogas, fuga a abusos familiares, desejo de independência.

– Por que esse é um dos temas quentes para a redação do ENEM 2019?

De acordo com a última estimativa realizada, a cada hora, 22 pessoas desaparecem no Brasil. Isso mesmo! Dois times de futebol inteiros. Por ano, são 200 mil desaparecidos, dos quais 40 mil são crianças. E mais: o Brasil lidera o ranking de vulnerabilidade da América Latina quando o assunto é o tráfico internacional de crianças.

Nesse sentido, o sistema de cadastro de desaparecidos do Ministério da Justiça apresenta muita instabilidade, o que induz a polícia a trabalhar à toa. Desse modo, algumas iniciativas podem ajudar a resolver o problema, como o aperfeiçoamento do modo como as denúncias são feitas. Além disso, existem ações muito efetivas como:

Quer saber mais? Então, dá o play no vídeo com os nossos amados Lucca Najar, Manoel Neves e Vanessa Biondini. Tá re-che-a-do de repertório pra esse tema!

2. Tabagismo no século XXI

É verdade que o problema do tabagismo tem sido reduzido no Brasil nos últimos anos. Inclusive, nosso país é destaque nesse esforço. Mas, isso não significa que o problema acabou ou que essa é a realidade de todos os países do mundo. Afinal, o hábito de fumar segue crescendo globalmente e desencadeando muitas das doenças mais graves do nosso tempo.

– Por que este é um dos temas quentes para a redação do ENEM 2019?

A cada seis segundos, uma pessoa morre vítima de doença relacionada ao tabagismo no mundo. Devido a isso, o Brasil ocupa o 8º lugar no ranking de fumantes no planeta. Assim, essa conta acaba não saindo barata para os cofres públicos.

Em primeiro lugar, para seguir lutando contra o problema, medidas como o alto taxamento sobre o cigarro e a proibição de propagandas continuam indispensáveis. Além disso, o Ministério da Saúde deve manter a distribuição de medicamentos gratuitos, pelo SUS, para ajudar a quem quer largar o vício.

Mas, o que mais precisa ser feito para minimizar os impactos de morte por tabagismo? Primeiramente, vamos listar as iniciativas bacanas que já existem por aí. Por exemplo, o grupo Truth Orange. Essa é uma organização liderada por jovens que lutam para reduzir o número de tabagistas no mundo. Procure pela #FinishIT no Twitter!

Agora, se você tá sedento por mais repertório e mais soluções, recomendamos altamente o “Temas de Buenas” sobre o assunto. Lucca Najar e o Manual do Manoel te apresentam dados riquíssimos. Além deles, a Vanessa Biondini te ensina a estruturar uma redação nota 1000 sobre o tema, caso ele seja a escolha do ENEM 2019.

3. Mobilidade Urbana

Entendemos por mobilidade urbana o deslocamento de pessoas dentro dos perímetros das cidades. Nesse sentido, é dever da constituição brasileira garantir o direito de ir e vir livremente ao cidadão.

– Por que este é um dos temas quentes para a redação do ENEM 2019?

A população mundial segue crescendo. Por si só, isso já agrava o problema. Mas também é necessário considerar o impacto que transportar esse monte de gente causa ao meio ambiente. Desse modo, buscar soluções mais rápidas, econômicas e sustentáveis é uma missão para o presente e para o futuro.

Mas é claro que já tem coisa sendo feita por aí. Por exemplo:

  • A ONG Vá de Bike adaptou um conteúdo para criar uma pirâmide inversa do tráfego de como deveria ser feito o investimento em mobilidade urbana nas cidades;
  • Em Medellin, um teleférico facilita o transporte a locais mais pobres;
  • São vários os projetos e modelos de trem-bala magnético, como este na China;
  • O ônibus com teto verde na Espanha.

Quer entender melhor sobre o assunto? Então, você já sabe, né? Confira no “Temas de Buenas” no Youtube!

4. Suicídio entre jovens

O suicídio é uma das principais causas de morte dos jovens no Brasil. Embora o ENEM nunca tenha cobrado nenhum tema de saúde pública, essa é uma das grandes apostas para este ano.

– Por que este é um dos temas quentes para a redação do ENEM 2019?

Apesar de os casos não serem divulgados na mídia da mesma forma que outros acontecimentos, o tema suicídio entre jovens vem dando o que falar. Para se ter uma ideia, dados do Sistema de Informação sobre a Mortalidade confirmam que essa é a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 24 anos – ficando atrás apenas do acidente de trânsito.

Além disso, jogos como a “Baleia Azul” (lembra?) são um grande ponto de atenção, porque induzem as pessoas a cometerem suicídio, mesmo que essa não fosse sua ideia inicial. Ademais, conteúdos como a da série “13 Reasons Why” também chamam atenção para a abordagem irresponsável do tema.

No “Temas de Buenas”, a duplinha Lucca Najar e Manual do Manoel abordam esse assunto e explicam o “suicídio por contágio”. Você sabe o que é isso? Nesse vídeo, você vai aprender tudo sobre o assunto. Mas, atenção! Você precisa ficar até o final do vídeo pra conferir uma redação nota 1.000 sobre esse tema com a nossa teachtuber, Vanessa Biondini.

Quer mais 10 temas fervendo para a redação do ENEM 2019? Vem de e-book!

Além de descrever os 14 assuntos (10 + 4 que falamos aqui), incluímos redações-modelo pra você entender como seria uma redação nota 1000 com cada uma das nossas apostas de tema. Então, clique aqui ou dentro da imagem para baixar gratuitamente!

Temas quentes para a redação do ENEM

Temas quentes para a redação do ENEM

 

Redação do ENEM no governo do Bolsonaro

O Salto one comments

Redação do ENEM no governo do Bolsonaro

O Enem está chegando e eis que surgem as perguntas: – O presidente vai mesmo ler a prova? Será que ele pode interferir nos temas de redação cobrados? Até o meio do ano, muito se especulou sobre a redação do ENEM no governo do Bolsonaro. Agora, não há mais dúvidas. Hoje, dia 11 de outubro de 2019, o Estado de Minas publicou uma matéria que confirmou que a prova do ENEM não vai ser como no ano passado.

Mudanças na redação do ENEM no governo Bolsonaro

Muita gente quer saber se a prova vai mudar. No que diz respeito à estrutura e à sua forma de ser avaliada, não. Nesses quesitos, é como diz o velho ditado: tudo permanece como dantes no quartel de Abrantes. No entanto, agora há uma comissão do INEP, responsável por “identificar abordagens controversas com teor ofensivo a segmentos e grupos sociais, símbolos, tradições e costumes nacionais”. Mas, o que isso significa?

Em outras palavras, significa que o INEP vai passar um pente fino em tudo que possa gerar polêmica ou afetar a moral e os bons costumes da família tradicional ortodoxa brasileira. Assim, não espere temas de redação que critiquem a homofobia, a xenofobia ou até os direitos dos indígenas quanto à demarcação de terras. Não vai rolar. E por quê? Porque os direitos de cada um desses grupos “fere” o pensamento de outros, e o governo não quer que você levante nenhuma bandeira.

De acordo com Abraham Weintraub, o Enem não vai ter questões “ideológicas”. Segundo o ministro da educação, as questões deverão medir “a capacidade de ler e compreender o texto”. Nesse contexto, o atual presidente do INEP, Alexandre Ribeiro Lopes, assina embaixo e diz que a prova deste ano está focada em questões que avaliam objetivamente o aprendizado dos estudantes.

Quais temas podem cair na redação, então?

Diante do exposto, o ENEM 2019 não vai cobrar nada muito polêmico. Obviamente, o governo não quer que você fale mal dele, muito menos da gestão e decisões do atual presidente, Jair Bolsonaro. O INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) também não espera que você seja o polemizador do rolê. Como a gente sempre diz, a redação do ENEM não é palanque. Desse modo, a ideia é se posicionar apenas para construir a sua tese e para propor uma solução na conclusão do seu texto.

Para ajudar você a construir repertório sobre os temas de redação mais prováveis no ENEM 2019, o Salto convidou a roteirista, Aline Layoun, e a professora de Letras, Amanda Kimie, para conversarem sobre a prova do ENEM neste novo cenário político. Por isso, elas também escreveram um e-book com 14 apostas de temas para o ENEM 2019. Nesse e-book, elas falam um pouco sobre o que esperar da prova, apresentam textos motivadores de temais quentes, além de redações-modelo (redigidas por elas mesmas e por seus alunos) sobre cada um dos assuntos abordados. O e-book está disponível aqui.

temas redação enem

 

 

Aproveite e assista aí embaixo ao vídeo que elas debatem sobre esse assunto. Assim, você vai chegar no ENEM afiadíssimo.

 

Apostas de temas para a redação do Enem no governo Bolsonaro:

Segundo Amanda e Aline, são temas muito quentes para o ENEM 2019:

  • a importância da vacinação, porque o governo bateu muito nessa tecla ao longo do ano;
  • gravidez precoce, devido à criação da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência;
  • a importância da família, porque Bolsonaro se elegeu a partir desse discurso;

Qual é a sua aposta de tema? Comente aí embaixo e não deixe de baixar aqui o e-book exclusivo do Salto com 14 temas quentes!

Redação do Enem 2018: 5 Possibilidades de Temas

O Salto No Comments

Uma boa redação faz toda a diferença na nota final do ENEM. A fuga ao tema é motivo para tirar zero na avaliação. Para conseguir escrever bem, uma dica é ficar ligado nas atualidades e atento às notícias que fazem parte do cotidiano do Brasil. Desse modo, você terá mais chances de arrasar na sua redação, independente do tema aplicado.

Aqui vão cinco possíveis temas para o ENEM.

Superlotação do sistema carcerário

As celas das prisões brasileiras estão superlotadas, o que gera uma grande preocupação devido à violação dos Diretos Humanos. Em virtude da lentidão e ineficiência da justiça, muitas pessoas ficam nas prisões aguardando julgamento por vários dias. A situação agrava-se em função de o número de vagas ser menor do que o número de presos, o que gera, por sua vez, celas superlotadas, sem condições de saneamento. Outro problema é o encarceramento por questões relacionadas a drogas e pequenos roubos, fato que poderia ser resolvido com educação básica melhor e políticas de conscientização contra drogas.

Novas formas de representação familiar

Em 2015, o projeto de lei do Estatuto da Família gerou polêmica definindo família apenas como “o núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes.” A lei entrava em confronto com a decisão dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) que, em 2011, reconheceram por unanimidade a união entre pessoas do mesmo sexo como família e com o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) que, em 2013, regulamentou a união homoafetiva obrigando os cartórios a realizarem casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

Bullying: os limites entre a brincadeira e a agressão

Bullying é um tipo de abuso físico ou psicológico que tem acontecido em várias escolas do mundo. O que pode parecer apenas uma brincadeira pode ter sérias consequências, assim como aborda a série 13 reasons why, do Netflix. A protagonista sofre tanta agressão dos colegas que acaba cometendo suicídio. Para combater a violência na escola, o Ministério da Educação (MEC) vem coordenando ações que visam capacitar docentes e equipes pedagógicas para promoverem a cidadania, empatia e o respeito, numa cultura de paz e tolerância mútua. A iniciativa ganhou um reforço de peso em novembro de 2016, quando o Ministério da Justiça e Cidadania aliou-se ao MEC lançando o Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e dos Direitos Humanos. Mais de duzentas instituições de ensino superior já aderiram ao acordo.

A sobrevivência da cultura indígena no Brasil contemporâneo

Alguns grupos indígenas estão perdendo sua identidade cultural. A mistura dessa cultura com a cultura branca desencadeia a falta de interesse dos mais novos em aprender com os mais velhos e acaba gerando esquecimento da tradição. Além disso, as escolas não ensinam com fidelidade a história desse povo, o dia do índio é tratado como algo caricato e distante. O desconhecimento sobre a realidade indígena atual, marcada por assassinatos, falta de demarcação de suas terras e violação de seus direitos, gera, por sua vez, falta de empatia e respeito com os nativos. Uma alternativa para que anos de conhecimento não se percam é fazer registro de contos, tradições e dicionários e exigir de nossos governantes que respeitem essa etnia. 

Escassez de água potável no Brasil

O problema da escassez de água potável no Brasil é um problema político. Nosso país tem recurso hídrico abundante; possuímos, junto com Paraguai, Argentina e Uruguai, a  maior reserva de água doce do mundo (Aquífero Guarani). Os problemas relacionados a essa questão são ligados à má gestão pública, expressa, por exemplo, pela falta de saneamento, que é um dos principais fatores de poluição de nossos mananciais. Várias campanhas para consumo residencial consciente já fizeram efeito e a população hoje está mais atenta, entretanto, é ao setor agropecuário que cabe a maior parte do consumo de água.

Lembre-se: Além de ter bons argumentos na redação, é regra do ENEM que todos eles respeitem os Direitos Humanos.

Gostou do artigo? Então deixe seu comentário abaixo. Não esqueça também de curtir nossa página nas redes sociais (facebook e instagram). Assim, você recebe em primeira mão dicas e mais postagens como essa, que vão te ajudar a arrasar no ENEM 2017.

Por Raquel Branco

Não perca nenhuma dica!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu email.