Um programa, 3 temas de redação: BBB 2021

Saudades do BBB 2021?! Nós também! Por isso, que tal conferir este post cheinho de repertórios sensacionais que você pode usar na sua redação do Enem? Sim, a última edição do reality trouxe vários temas que cabem direitinho na sua prova! Vem ver com a gente! 

O BBB21 teve uma coleção de polêmicas e plot twists que nem mesmo os maiores fãs do reality seriam capazes de prever, mostrando muitos repertórios super relevantes! Você não precisa se camuflar igual a Sarah para descobrir como usar a última edição da casa mais vigiada do Brasil na prova! A gente ensina!

Tema 1: Caminhos para combater a xenofobia no Brasil

Karol Conká recebeu acusações de xenofobia ao declarar que se sentia incomodada com o jeito da ganhadora Juliette. A rapper afirmou que era de Curitiba, “uma cidade reservadinha” e que tem “muita educação para falar com as pessoas”, dando a entender que era mais educada do que a paraibana. Portanto, não teve como escapar: a frase de Karol gerou bastante críticas, inclusive de Flay, que participou do BBB20. 

A xenofobia consiste na aversão aos estrangeiros que vão morar em um país diferente do de origem e às pessoas que, mesmo morando na mesma nação, são vistas como “forasteiras”. No Brasil, por exemplo, podemos destacar o tratamento recebido por imigrantes haitianos e venezuelanos e pelos próprios nordestinos, que migram para o Sudeste e o Sul em busca de emprego e de melhores condições de vida.  

Assim, eles vivenciam discriminações e preconceitos, além de agressões, segregações e estereótipos que estimulam o ódio e a crença de que uma cultura é superior a outra. Um repertório pra redação muito triste, né? 💔 

Vamos combinar que as atitudes da Karol no programa não foram nada bacanas, né? Fonte: UOL

Tema 2: A associação entre colorismo e racismo no território brasileiro

No reality, a negritude de Gilberto foi alvo de questionamento por Nego Di, que afirmou que o competidor “pode dizer que é muçulmano, negro não. O racismo só sofre quem é da nossa cor, o policial não te para porque tua mãe é negra. Ele é um pouquinho sujinho. Se esfregar bem…” Karol Conká declarou que se vê como ruiva e Lumena brincou que é verde, ironizando o fato de Gilberto se identificar como negro.  

É claro que o colorismo (já falamos sobre isso no post de “One Day at a Time” e no de “Dear White People”) influencia e muito no tratamento de uma pessoa negra, visto que um indivíduo de pele mais pigmentada sofre com o racismo de forma mais violenta. Mas isso não significa que um cidadão negro de pele mais clara não sofra com situações racistas.  

Além disso, pretos de pele clara também lutam para reconhecer a sua identidade e o seu lugar na sociedade. Afinal, eles podem ser vistos como “brancos” por pessoas pretas de pele mais escura e “pretos” por pessoas brancas, o que censura a existência dessa população. Assim, as experiências vivenciadas por Gilberto podem ter sido diferentes das que Karol, Nego Di e Lumena enfrentaram, mas não dá para invalidar o que o brother sofreu, né?

Outro participante que também deu declarações polêmicas foi o Nego Di. Fonte: Diário do Nordeste

Tema 3: Os efeitos do assédio sexual na sociedade brasileira

O brother Nego Di afirmou que não quis deitar ao lado da sister Carla porque não conseguiria dormir, visto que tiraria a “flauta” e mexeria no “guri”, referências ao seu órgão genital e ao ato de masturbação. Já Karol insistiu em dar um selinho no participante Arcrebiano, que ficava dizendo “não” para a rapper, mas acabou cedendo e beijando a sister. 

No Brasil, cerca de 86% das mulheres sofreram assédio em público, de acordo com a organização ActionAid. Metade das mulheres entrevistadas já foram seguidas nas ruas, 44% tiveram seus corpos tocados, 37% declararam que homens se exibiram para elas e 8% foram estupradas em espaços públicos. Mas e quando o homem é vítima de assédio? Após Arcrebiano ter cedido aos avanços de Karol, muitos usuários apontaram que o brother estava desconfortável com a situação e levantaram a hashtag #nãoénão.  

O assédio sexual é caracterizado quando há uma diferença hierárquica entre a vítima e o agressor. Dessa forma, alguns internautas questionaram se Karol, por ser una mulher preta, teria força física e moral para aplicar a violência contra um homem branco padrão. Outros afirmaram que a sister, na dinâmica do jogo, exerceu poder direcionado a quase todos os participantes. O que você pensa sobre isso?

O Arcrebiano estava desconfortável, mas acabou cedendo às investidas de Karol. Fonte: NSC Total

Você já pensou em estudar para o Enem por meio de eixos temáticos? Com o e-book gratuito “Repertórios Universais por Eixos Temáticos“, você vai perder o medo de abrir a folha de redação do Enem. Não deixe de conferir!

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter